O Poder do Foco Valderlei de Jesus

Combatendo as causas da perda de foco.

Combatendo as causas da perda de foco.

Agora que você sabe que a distração é a principal razão pela qual perdemos o foco, vamos falar um pouco sobre as várias formas que as distrações podem assumir. Em muitos casos, essas distrações podem não parecer tão óbvias como se imagina, mas podem fazer você se sentir confuso e sem direção em muitas ocasiões.

O resultado é que você pode acabar se culpando por não ter mais controle do seu tempo, suas tarefas e até mesmo sua vida.

Neste ponto, é importante lembrar que, à medida que envelhecemos, o foco e a concentração podem mudar, assim como a memória e outras funções cognitivas. No entanto, isso não precisa ser inevitável.

Pelo contrário, certos estudos com indivíduos mais velhos revelam que a capacidade de aprendizagem estratégica ou de tomada de decisão pode melhorar com a idade.

Sabemos que existem certos hábitos e situações que podem prejudicar o foco. A maioria são hábitos cotidianos que mudam com algum esforço e podem tornar-se o ponto de partida para você avançar com a melhoria do foco e concentração.

Vamos dar uma olhada em alguns hábitos que podem estar prejudicando sua capacidade de focar.

Má alimentação e nutrição

Má alimentação e nutrição

Má alimentação e nutrição

A comida tem um impacto direto sobre a cognição, e é por isso que uma má decisão no almoço pode descarrilar uma tarde inteira.

Isso acontece porque tudo que comemos, o corpo converte em glicose, que nos fornece energia. Mas nem todo tipo de alimento é processado pelo corpo na mesma taxa.

Portanto, uma dieta pobre que leva à fome e à desidratação pode se tornar uma grande distração.

A fome pode ter uma miríade de efeitos negativos na saúde e no comportamento, incluindo a capacidade de se concentrar. Muitas vezes, é associado a níveis baixos de açúcar no sangue que conduzem diretamente à fadiga e baixos níveis de energia.

A desidratação, por outro lado, pode levar a numerosos sintomas que podem reduzir o foco, incluindo dores de cabeça, fadiga e mal humor. Estudos estabelecem que mesmo 1% menor que a hidratação ideal pode causar falta de foco.

Então, quais são algumas das armadilhas que você precisa evitar para impedir que a fome e a desidratação se estabeleçam?

Aqui está uma amostra:

1# Dietas para perda de peso

As dietas de perda de peso são notoriamente ruins para o foco e a concentração.

Entre estas, dietas com baixo teor de gordura podem ser responsabilizadas, porque o cérebro precisa de ácidos graxos essenciais para o bom funcionamento e essas gorduras privam o corpo de tais nutrientes.

Ao mesmo tempo, cortar nutrientes importantes, como as proteínas, também é ruim.

Isso ocorre porque os aminoácidos na proteína são essenciais para o desempenho ideal do cérebro na criação de substâncias químicas cerebrais que melhoram o foco.

2# Alimentos processados

A má nutrição, muitas vezes na forma de calorias vazias, não lhe dá a energia que você precisa.

Com energia insuficiente, o cérebro tem dificuldade em funcionar ou se concentrar em qualquer coisa corretamente. Como resultado, você pode experimentar irritabilidade leve quando come alimentos processados.

Um exemplo: comer alimentos processados, como carnes curadas, pode deixar o cérebro nebuloso – lento.

Quando você consome alimentos ricos em sal e proteína, como esses, há uma tendência de ficar desidratado e a desidratação pode diminuir a função cognitiva.

3# Junk foods

Junk food, também coloquialmente, “porcaria” ou “besteira”, é uma expressão pejorativa para “alimentos com alto teor calórico, mas com níveis reduzidos de nutrientes”. (Wikipédia)

Os alimentos “lixo” são uma história completamente diferente por si só. Os alimentos “porcaria” vêm em um pacote com alto teor de gordura, alto teor de açúcar e alto teor de calorias que são digeridos com bastante rapidez.

Enquanto você pode obter gratificação instantânea comendo esses alimentos, eles realmente não fazem muito para saciar sua fome ou para uma boa nutrição.

Em vez disso, uma vez que os junk foods são desprovidos de nutrientes, o corpo é obrigado a usar o açúcar como fonte de energia.

Esta forma de energia é rapidamente gasta, dada a natureza refinada do açúcar, deixando você com um alto nível de açúcar também experimentado como uma sensação temporária de energia.

Mas depois que o metabolismo esgotou toda a energia disponível, o aumento é seguido por uma queda de açúcar acompanhado de uma sensação de fadiga, letargia, perda de foco e um cérebro errante.

Hormônios são importantes para o foco mental

A manutenção do equilíbrio hormonal é fundamental para o melhor funcionamento do cérebro. Talvez você se surpreenda ao saber que uma deficiência de hormônios específicos pode trazer mudanças significativas no foco e processamento mental.

Com os hormônios fora do equilíbrio, você pode se encontrar com dificuldades para lembrar os nomes das pessoas, encolhendo involuntariamente, sofrendo de mudanças de humor ou até mesmo começar a sentir-se deprimido.

Todos estes e outros fatores desempenham um papel em afetar a maneira como o seu cérebro funciona.

Para as mulheres, a única coisa a observar é os níveis de estrogênio. Este hormônio feminino pode ditar tudo, desde ansiedade por açúcar e ataques de fadiga até mudanças de humor.

Qualquer desequilíbrio é então visto como um impacto na agilidade mental, onde baixos níveis de estrogênio podem prejudicar as funções mentais, como a memória, o raciocínio e até o humor pode parar de funcionar bem.

Como resultado, as mulheres geralmente podem observar que as flutuações nos níveis de estrogênio durante a perimenopausa e a menopausa podem fazer com que a memória e a atenção diminuam.

Outra consideração que cai sob desequilíbrios hormonais e que pode afetar a capacidade de focar é o hipotireoidismo. Problemas de tireóide baixa têm sido diretamente relacionados como causa de névoa mental, problemas de concentração, depressão e até perda de memória de curto prazo.

É importante que um equilíbrio ótimo de estrogênio, progesterona e testosterona seja mantido, uma vez que os três hormônios atuam diretamente nas células nervosas no cérebro.

Coletivamente, esses hormônios podem ajudar a facilitar a neurotransmissão, proteger as células das neurotoxinas e melhorar o fluxo sanguíneo no cérebro.

Qualquer desequilíbrio e o resultado pode ser uma queda significativa na cognição, foco mental e na capacidade de sustentar a concentração.

Falta de sono afeta sua capacidade de foco

Esta questão comum não recebe a verdadeira atenção que merece. Mesmo com uma única noite de sono insuficiente, a mente sofre muito e a capacidade de foco é comprometida.

Quando você não dorme bem, o seu processo de pensamento diminui a velocidade e você fica menos alerta. Isso afeta sua capacidade de se concentrar e pode tornar a mente confusa o suficiente para evitar que você execute tarefas que exigem um pensamento complexo.

Além disso, sentir sono pode prejudicar a sua memória de trabalho, que é um componente importante da sua capacidade de focar. A sensação torna você menos vigilante e reduz a velocidade e precisão das tarefas mentais.

Estresse

Embora a memória e o funcionamento cognitivo diminuam gradualmente com a idade, as pessoas com níveis persistentes ou maiores de estresse são especialmente vulneráveis.

Os efeitos negativos do estresse na memória podem fazer com que o cérebro se “congele” e perca completamente o foco.

Isso pode acontecer em qualquer cenário, desde estudantes que estudam para um exame ou ao apresentar um amigo e esquecer seu nome no meio caminho da apresentação (embaraçoso, não é?).

A capacidade de focar é prejudicada nessas situações, pois o pensamento fica tão preocupado com os estímulos induzindo o estresse que outros pensamentos não conseguem surgir.

Desta forma, dificulta a memória de trabalho que está associada à memória de curto prazo.

Falta de atividade física prejudica sua capacidade de focar

O exercício regular libera substâncias químicas cerebrais que são fundamentais para a memória e uma falta do mesmo pode afetar o foco e a concentração.

O exercício estimula as áreas do cérebro que estão envolvidas nas funções da memória.

A atividade física libera um químico chamado BDNF ou fator neurotrófico derivado do cérebro que reúne circuitos de memória para que eles funcionem melhor.

Como tal, 30 minutos de exercício podem ajudar a produzir mais BNDF. Mas fazer exercícios uma vez por semana não ajudará. O exercício precisa ser uma parte regular da rotina diária para que você possa colher benefícios cognitivos.

Ambiente circundante

O ambiente em que você está envolvido pode tornar-se rapidamente um fator distrativo quando você está tentando se concentrar. Poderia haver vários desvios de atenção, como ruídos altos, iluminação intensa, interrupções visuais e até inconsistências de temperatura.

Embora possam parecer triviais, essas variáveis ​​ambientais podem desempenhar um papel importante na elaboração ou na quebra do foco.

Qualidade de informação

Outra distração comum é a qualidade das informações que você precisa processar.

Se a informação for relevante para a tarefa em questão, então provavelmente manterá seu foco comprometido, mas você pode facilmente se distrair se você não tiver a informação certa para trabalhar.

Problemas como um e-mail incompleto, um passo ignorado ou uma mensagem de telefone enganosa podem prejudicar seu foco enquanto você tenta entender a situação.

Curso: O Poder do Foco.

Sobre o autor | Website

Olá, seja muito bem vindo ao Blog. Sou Valderlei de Jesus, proprietário e administrador do blog. Sou autor do livro MindSet Dominado e também Hábitos de Sucesso, ambos digitais. Sou o criador do blog Viver Com Prosperidade, o melhor blog de desenvolvimento pessoal do Brasil, com mais de 50.000 assinantes.

E-book Ideias Dinheiro!

Aprenda passo-a-passo como ganhar dinheiro trabalhando a partir de casa.

100% livre de spam.

Para enviar seu comentário, preencha os campos abaixo:

Deixe uma resposta

*

1 Comentário

  1. lauraburgessmarketing disse:

    Pra ser superdotada, a criança teria que resolver (corretamente) assuntos que seriam esperados em uma idade mais avançada. Isso depende de: Genética Boa nutrição (isso inclui água e comida livres de porcarias difícil, hein?) Informações adequadas (Aí, ferrou de vez. Geralmente, os próprios pais, não têm tal discernimento. Escola? Isso já foi bastante comentado no BoB. Televisão? Desiste!) Dado que todos os requisitos acima fossem cumpridos, até seria possível que uma criança de 10 anos tivesse uma mentalidade correspondente a 30 ou até 40 anos. Todavia, isso é pra lá de incomum. Ainda mais, no Banaling.